Tosar ou não o cachorro no calor? – Bonnevie

Tosar ou não o cachorro no calor?

Tosar ou não meu cachorro no verão?

Embora muitas pessoas não saibam, o pelo protege o cão do frio e do calor, atuando como um isolante térmico. No frio os pelos servem para aquecer os cães e proteger das baixas temperaturas, já no calor ele evita que os raios solares consigam atingir a pele, que é muito mais frágil que a nossa, evitando causar hipertermia, feridas e queimaduras que se formam rapidamente devido a pele muito fina do animal, ou seja, os pelos agem como um escudo térmico.
Por isso, não tose completamente seu cachorro, isso pode atrapalhar mais que ajudar.
Mas, isso não é válido para todos os cães, entenda melhor neste artigo os tipos de tosa que podem ser feitas para aliviar o calor do seu amigo.


ATENÇÃO NA HORA DE TOSAR SEU CACHORRO NO VERÃO!

O mecanismo de compensação térmica dos cães é completamente diferente do nosso. Quando está quente, nossa pele transpira, e é através do suor liberado que o calor sai do corpo e abaixa a nossa temperatura.
Com os cães funciona de outro jeito, já que eles não transpiram da mesma maneira que a gente pela pele, por isso a regulação da temperatura do corpo do cachorro é feita principalmente através da boca. Quando eles ficam ofegantes, quer dizer que estão expulsando o ar quente do corpo e diminuindo a sua temperatura interna.

Primeiro devemos nos nos atentar qual é o tipo de pelagem do cachorro: com subpelo ou sem subpelo.

Se o cachorro não tem subpelo, ele deve ser tosado sim no verão, pois a tosa facilita a perda de calor.
Quando os cães estão com calor, eles procuram se deitar de barriga pra baixo em superfícies frias ou geladas para perderem calor e com isso regular sua temperatura, já que eles não perdem calor através do suor, como nós fazemos, eles perdem calor através da respiração,  pele e coxins, este último bem pouquinho.

Cães com o pelo curto conseguem dissipar melhor o calor do que com o pelo longo, ficando assim mais termorregulados. Apenas não devemos tosar muito baixo ou muito rente a pele, pois o pelo também é uma proteção contra os raios UVA e UVB e ainda contra picada de mosquitos.

Já para cães com subpelos temos que tomar muito cuidado, devemos apenas retirar esses subpelos, através de escovação com escovas especiais e isso ajuda a diminuir o volume de subpelos, ajudando assim na perda de calor e controle da temperatura.

Como perceber que o meu cachorro está com calor?

Quando ele fica com a boca aberta e muito ofegante, com respiração acelerada, pois assim que ele controla a temperatura corporal.
Eles também procuram superfícies frias ou geladas para se deitar e sempre procuram deitar de barriga para baixo.

No inverno a pelagem fica mais densa para o cão estar preparado para o frio, na primavera principalmente os pelos começam a cair, ficar muito menos denso, para o organismo ficar preparado para o verão.

Não é recomendado uma tosa muito baixa, para proteção contra os raios solares, mas diminuir o pelo é super saudável sim e recomendado, e ajuda sim na termorregulação.

Nos períodos mais quentes, o ideal é evitar atividades físicas intensas e manter os animais em ambientes frescos, com ventiladores e ar condicionado. Além disso, intensificar os banhos também ajuda na hora de refrescar.

Outro cuidado imprescindível é não expor os pets diretamente ao sol nos horários de forte incidência dos raios. Evite passeios em dias muito quentes, ou saia apenas em horários mais frescos, antes das 9 horas pela manhã ou após às 18:00 horas no período da tarde.
Quando o animal é exposto ao sol, ele pode desenvolver queimaduras nas patas, além de ter quadros de hipertermia e aumentar as chances do aparecimento de tumores de pele a longo prazo.
Essa recomendação é importante para todos os animais, independentemente se foram ou não tosados.

Quando tosar?

Para saber com que frequência é necessário tosar o seu cão, é importante observar a origem da raça. A maioria das raças é originária de países mais frios e, por isso, tendem a sentir mais desconforto no calor.
Esse é o caso do São Bernardo, Husky Siberiano e do Bernese, por exemplo. Para essas e outras raças que requerem a tosa, é recomendado levar o animal ao pet shop a cada 30 ou 45 dias para manter o pelo higienizado e evitar a formação de bolas e nós na pelagem.

Mas é importante ficar atento: existem algumas raças que não devem ser tosadas porque já possuem o pelo mais curto. Nesses casos, a tosa aumenta o risco da pelagem do animal parar de crescer.
“Normalmente, isso acontece com as raças com muito subpelo, como o Chow Chow, Lulu da Pomerânia, Shiba e Akita”, segundo especialista.

Verifique a validade das vacinas

As frequentes chuvas durante esta época do ano aumentam a incidência de algumas doenças. A leptospirose, por exemplo, ameaça os cachorros que entram em contato com alagamentos. Por isso, é importante verificar se as vacinas essenciais estão em dia.

Controle a alimentação do pet

Para evitar o risco do animal se sentir indisposto, você pode reduzir de 15% a 20% o volume de comida, além de oferecer a refeição em horários mais frescos do dia.
Também é importante garantir água fresca à vontade para os animais ao longo do dia, lembrando sempre de lavar a tigela e trocar a água pelo menos uma vez por dia.




Boas Novas!

Receba atualizações apetitosas e fresquinhas

Faça parte da nossa lista vip e receba primeiro todas as nossas
novidades e promoções. Pode ficar tranquilo que não iremos te
encher de spam, aqui só tem notícia boa pra cachorro!